Gerais

Jovens do Espírito Santo falam sobre aprendizado nos Diálogos sobre Gestão Escolar

11 agosto 2017

Cerca de 400 estudantes de escolas estaduais do Espírito Santo estiveram presentes nos Diálogos sobre Gestão Escolar, realizado nos dias 03 e 04 de agosto em Domingos Martins, município a 42 km de Vitória. O evento tem como objetivo incentivar a participação dos jovens na gestão escolar para melhorar a aprendizagem. Entre os estudantes presentes, 20 haviam participado dos Diálogos em 2016 e este ano voltaram para auxiliar os educadores. Caso do adolescente Bruno Moreira da Silva, estudante do 3ª ano do Ensino Médio na Escola Silvio Egito Sobrinho, localizada na cidade de Serra.

Bruno contou que na primeira participação não chegou com muita expectativa. “Eu não acreditava que teria todo esse recurso, todo esse conhecimento repassado”, relatou. Logo essa primeira impressão se desfez. A experiência foi tão rica que Bruno saiu dos Diálogos e colocou em prática projetos junto com o grêmio estudantil, onde ele é diretor cultural. “No primeiro Diálogos, como o meu sonho é ser jornalista, resolvi fazer vídeorreportagem. Nós fizemos pequenas reportagens com entrevistas de alunos para saber como estava a escola, o que aprendiam, quais eram as dificuldades, se estava acontecendo inclusão”, contou. Segundo Bruno, os vídeos chegaram à diretoria e também contribuíram para que os alunos mudassem a maneira de ver o ambiente escolar. O trabalho foi interrompido recentemente porque a câmera quebrou.

Outro ponto positivo apontado pelo jovem – que dançava e cantarolava pelos Diálogos 2017 – foi a oportunidade de falar sobre gestão. “Do que eu pude trazer para minha escola, além da questão do vídeo, foi poder falar numa reunião sobre gestão escolar e diálogo entre professor e aluno, que na escola era muito fraco. Melhorou um pouco, porque essa mudança não é imediata”, relatou Bruno.

Quem também chegou sem muita expectativa nos Diálogos foi Wanderson Crisander Cesário Cabral. Estudante do 1ª ano do Ensino Médio na Escola Ewerton Montenegro Guimarães, em Viana. Participante das reuniões do Programa Jovem de Futuro e líder de classe, Wanderson foi escolhido para representar a escola. “Quando o diretor me convidou, pensei: vou ficar só ouvindo. Mas, quando cheguei, teve a parte de escutar e a parte de colocar em prática algumas coisas. O evento permite que a gente tenha conhecimento sobre a gestão na escola”, finalizou o rapaz.

Atividades interativas

A ideia de que os Diálogos sobre Gestão Escolar consistem apenas em palestras é rompida logo que as atividades interativas começam no período da manhã. Divididos em grupos, estudantes e gestores iniciam a reflexão sobre gestão escolar por meio da cartografia afetiva, atividade na qual montam um mapa com quebra-cabeça para expor vivências, identificar sentimentos e marcá-los nos espaços físicos da escola. Depois, seguem para trabalhos com cartazes, fanzines, músicas, vídeos e esquetes teatrais. Bruno e Wanderson, por exemplo, integraram um dos grupos de vídeo e produziram um rap para ilustrar a realidade da sala de aula.

Para o músico e educador Maurício Paz, um dos responsáveis pelos grupos de música, os estudantes abordaram o tema da gestão em suas composições artísticas. O educador também chamou a atenção para o envolvimento e a dedicação dos jovens nas atividades e as contribuições deles nas discussões. “Eles chegam com muita energia. Para mim o mais intenso é absorver as reflexões”, contou o educador.

A exibição do documentário “Nunca me sonharam” nas noites que antecederam as atividades artísticas foi outra atração que deixou os estudantes atentos. “O filme me tocou muito, porque eu sentia que ninguém me escutava, achava que eu não tinha voz. Eu me toquei que os jovens precisam fazer alguma coisa para mudar a educação”, disse Maria Luiza Marcon de Oliveira, estudante do 2ª ano do Ensino Médio na Escola Francelina Carneiro Setúbal, em Vila Velha. Maria planeja exibir o filme na escola em breve.

Os participantes dos Diálogos também receberam a visita do Secretário Estadual de Educação do Espírito Santo, Haroldo Rocha. Ele enfatizou a importância da participação dos estudantes na gestão para melhorar a escola. “A escola que temos hoje está defasada, porque o mundo mudou. É um mundo mais participativo e a escola precisa incorporar isso”, afirmou.

Essa é a segunda edição dos Diálogos sobre Gestão Escolar, realizado junto a estudantes e gestores dos seis estados parceiros do Jovem de Futuro. Além do Espírito Santo, Ceará e Pará já receberam os Diálogos esse ano. No Rio Grande do Norte e Piauí, os encontros serão realizados nas próximas semanas e em Goiás está previsto para outubro. Uma novidade dos Diálogos deste ano é que eles abriram espaço para a presença dos gestores escolares. Assim, a estimativa é que, ao final da série, cerca de 3.700 pessoas tenham participado dos Diálogos, entre estudantes e gestores.