O que é

O Jovem de Futuro (JF) é uma tecnologia educacional desenvolvida e testada para estimular o aprimoramento contínuo da gestão escolar, com o objetivo de melhorar os resultados de aprendizagem dos estudantes, expandir o número de concluintes e reduzir as desigualdades educacionais de escolas públicas de Ensino Médio.

Principal projeto do Instituto Unibanco, o Jovem de Futuro foi estruturado com base na premissa de que uma gestão de qualidade, eficiente, participativa e orientada para resultados pode proporcionar um impacto significativo no aprendizado, já que influencia de maneira decisiva a qualidade da educação oferecida pelas escolas.

Por meio de parceria com as Secretarias Estaduais de Educação, o Jovem de Futuro oferece diferentes instrumentos para dar suporte ao trabalho de gestão das escolas e das redes de ensino público num período de quatro anos: assessoria técnica, formação, análises educacionais, tecnologias, metodologias pedagógicas e sistemas de apoio à gestão escolar. Também estimula as trocas de experiências entre os profissionais envolvidos, de forma a contribuir com o aprimoramento da gestão da escola, das regionais e das Secretarias de Educação.

Como funciona

Como tem o compromisso de influenciar os resultados (o que significa manter os estudantes na escola e garantir que eles aprendam os conteúdos esperados no tempo adequado a cada série do Ensino Médio), o Jovem de Futuro estabelece metas específicas para cada estado, que são então desdobradas para as regionais e as escolas. Com base nessas metas, os agentes educacionais fazem um diagnóstico do seu contexto, a partir do qual é elaborado um plano de ação. O passo seguinte é colocar o plano em prática, monitorando e avaliando as ações realizadas. Esse processo de monitoramento permite identificar as ações que geraram resultados, compartilhá-las com os diversos agentes educacionais e, ao mesmo tempo, corrigir rotas, alterando as ações que não tiveram o retorno esperado.

Para contribuir com o atingimento das metas, os profissionais envolvidos no Jovem de Futuro recebem formação para relacionar o conceito de Gestão Escolar para Resultados de Aprendizagem com as práticas escolares. Também são disponibilizadas metodologias pedagógicas para atender necessidades específicas identificadas no cotidiano escolar. Já as Secretarias de Educação dos estados envolvidos recebem instrumentos e análises que apontam caminhos para melhorar o fluxo de decisão nos diferentes níveis da gestão pública da educação e ampliar a corresponsabilização dos diferentes atores e instâncias não apenas com os resultados gerados mas, especialmente, com os processos que os geram.

A fim de que seja possível fazer uma avaliação consistente do impacto do projeto, a implementação do Jovem de Futuro em uma rede de ensino é feita em duas etapas: um grupo de escolas é beneficiado na primeira (grupo de tratamento), enquanto outro grupo recebe o projeto em um segundo momento (grupo de controle). Assim, pode-se comparar os resultados das escolas antes e depois de concluído o ciclo do Jovem de Futuro.