Fórum de Agentes Jovens reúne mais de 600 estudantes do Ensino Médio de Goiás

Qual o seu principal sentimento em relação à escola e que história você pode contar sobre isso? O que é gestão escolar e como você pode participar? Quais pessoas fazem com que você tenha uma relação de aprendizagem dentro e fora da escola?

Estimulados por perguntas como essas, mais de 600 estudantes do Ensino Médio da rede pública de Goiás participaram do Fórum de Agentes Jovens, em Pirenópolis, e puderam expressar suas vontades e desafios no ambiente escolar, além de entender sua corresponsabilidade na gestão de suas escolas. O encontro foi realizado nos dias 4 e 5 de outubro pela Secretaria de Educação, Cultura e Esporte de Goiás e o Instituto Unibanco e contou com mais de 30 mediadores e facilitadores que apoiaram os jovens a se expressarem por meio de atividades envolvendo artes e escrita. Parte desses 30 colaboradores são artistas de Pirenópolis, reforçando o envolvimento da comunidade local na vida escolar.

A reflexão sobre o papel do estudante na gestão escolar e os problemas e dificuldades enfrentados no cotidiano da escola resultaram em apresentações repletas de bom humor, criatividade e apontamentos significativos para a escola, para o aluno e para as políticas públicas de ensino.

“Esta é uma experiência única, não queria ir embora daqui”, disse a estudante Aldenizia Jesus da Silva, de 18 anos, que participou do primeiro dia do encontro. “A gente aprende a interagir, colocar as ideias e a trabalhar junto”, afirmou a jovem moradora de Britânia, interior de Goiás.

Com duração de oito horas, a programação foi dividida em três momentos: exposição, reflexão e expressão. O primeiro momento contou com uma apresentação sobre GEpR (Gestão para Resultado de Aprendizagem), o modelo do projeto Jovem de Futuro. Em seguida, foi adotada a metodologia de cartografia para promover uma reflexão em grupos sobre o conteúdo apresentado. Esta atividade foi desenhada para garantir que os jovens pudessem ilustrar os sentimentos e expectativas em relação ao ambiente escolar e à gestão da mesma, como atividade preparatória para o terceiro momento, o de expressão. Por meio de atividades de arte e escrita voltadas para facilitar a expressão dos jovens, as produções refletiram o que pensam da escola, os problemas e dificuldades enfrentados no ambiente escolar e como eles podem ser implicados na sua gestão. As apresentações foram divididas em sete modalidades: rádio, carta documento, fanzine, cartaz, letra e rima, vídeo-reportagem e cordel musical.

Luis Henrique Ribeiro Lima, de 17 anos, estudante de Aparecida de Goiânia, já havia participado do IUHack realizado em sua cidade no fim de semana anterior, e se mostrou entusiasmado com a possibilidade de poder expressar suas ideias. “Iniciativas como essas vão mudar a educação no Brasil. A gente sente aqui que temos voz para um dia poder transformar nossa educação”, afirmou Luis Henrique. No IUHack, uma maratona tecnológica, ele e seu grupo desenvolveram uma plataforma digital de ensino, pela qual alunos e professores interagem, trocam ideias e tiram dúvidas. “Isso seria um estímulo para o aluno aprender, pois a tecnologia fala diretamente com ele”, disse.

No Fórum de Agentes Jovens, ele desenvolveu com seu grupo um fanzine como forma de mostrar suas visões da escola e da aprendizagem, com frases como “A escola deve priorizar o aprendizado de todos os estudantes” ou “Somos eternos aprendizes e esse é o nosso primeiro passo”.

Os estudantes foram divididos em grupos e puderam escolher, logo na chegada, de qual oficina participariam: rádio, carta documento, fanzine, cartaz, letra e rima, vídeo-reportagem e cordel musical. Os jovens são lideranças escolares da rede estadual de Goiás e participam da metodologia Agente Jovem, do projeto Jovem de Futuro, criado pelo Instituto Unibanco e desenvolvido em parceria com a Seduce.

Este é o segundo Fórum de Agentes Jovens em Goiás. O primeiro foi em 2015. “No ano passado, o evento foi de mobilização e engajamento entre os jovens. Agora, o Fórum fez uma escuta forte do estudante para saber como se vê implicado na gestão da escola e quais as lacunas que existem. É um material importante para nós e também para a secretaria poder formular políticas para a juventude e para o Ensino Médio”, disse o gerente de Planejamento e Articulação Institucional do Instituto Unibanco, Tiago Borba.

Todo material produzido no Fórum pelos estudantes foi reunido em pen drive e distribuído aos jovens para que eles apresentem e repliquem as atividades em suas escolas. “Nossa expectativa é que eles voltem para as escolas e participem para os colegas, professores e diretores o que vivenciaram no evento. Queremos que eles sejam multiplicadores e que possam no futuro ser facilitadores dessa metodologia em desenvolvimento”, afirmou Borba.

O superintendente de Ensino Médio da Seduce, Wisley Pereira, que está deixando o cargo para assumir a coordenação geral do Ensino Médio no Ministério da Educação (MEC), abriu os dois dias de Fórum falando aos estudantes: “Apoiar o jovem não é falar somente ‘sim’. É dizer o quanto nós podemos contribuir com a gestão da unidade e com a comunidade na maneira que a gente pode melhorar o nosso espaço educacional”, ressaltou. “Desde 2011 queríamos fazer eventos como este, queríamos ouvir o jovem. A escola hoje é muito pensada para o professor e sempre sonhei em ser organizada para o aluno. Conhecemos o Instituto Unibanco com uma proposta revolucionária e nos apaixonamos pelas metodologias do Jovem de Futuro”, completou Pereira.

Letra e música

“Aqui no nosso Goiás / Precisamos estudar /  Com esforço e luta /

Nós temos que melhorar / A nossa educação / E a gestão escolar”

“Muita coisa é ruim / Que precisa d´atenção / Necessita de mais gente

/ Com mais colaboração / Levante da cadeira / Vale a participação”

Estrofes como essas fizeram parte de um cordel criado pelos estudantes durante o Fórum de Agentes Jovens e apresentado ao final do encontro. Outros grupos também mostraram com entusiasmo letras de rap e hip hop inspirados no encontro, programas de rádio e vídeo com entrevistas e cartazes com frases de impacto como “Jovens são o futuro mas… o futuro é agora”.

Para encerrar o primeiro dia de encontro, um xote animou os estudantes e resumiu um pouco do que foram os dois dias de trabalho e de reflexões com os estudantes. “Hoje adquiri um conhecimento em gestão escolar / Para que amanhã eu possa repassar / A gestão é complicada / Nossa participação ainda é limitada / A participação dos alunos não pode ser complicada, pois nossa fala é frequente e descomplicada / A comunicação tem que ser constante / dizemos aos professores que não somos inferiores / Nossa escola do sonho vai virar realidade / Essa escola prioriza a aprendizagem”.