Ceará celebra e analisa resultados do SAEB e IDEB de 2017

Nos dias 5 e 6 de setembro, a Secretaria de Educação do Ceará (SEDUC) realizou o seminário de apropriação dos resultados do SAEB e IDEB de 2017. Mais de mil diretores das escolas estaduais, secretários municipais de Educação e estudantes estiveram presentes para celebrar e analisar os resultados divulgados pelo Ministério da Educação (MEC).

O primeiro dia do encontro contou com apresentações e shows protagonizados pelos alunos para comemorar o crescimento dos indicadores em todas as etapas avaliadas. A rede pública de ensino do Ceará superou as metas propostas pelo MEC relativas ao Ideb do Ensino Fundamental (anos finais e iniciais) e avançou no Ensino Médio, deixando a 12ª. posição e passando para a 4ª, em comparação com as demais unidades da federação.

Nos anos iniciais (1º ao 5º ano), o estado cresceu 0,4 pontos, saindo de 5,7 em 2015 para 6,1 em 2017. A meta prevista era de 4,5 pontos. Este crescimento levou a rede pública cearense a ocupar o 6º lugar.

Com relação aos anos finais (6º ao 9º ano), o Ceará também cresceu 0,4 pontos, saltando de 4,5 pontos, em 2015, para 4,9, em 2017. O estado, mais uma vez, superou a meta do MEC, que era de 4,3 pontos

No Ensino médio, o Ideb saltou de 3,4, em 2015, para 3,8 em 2017.Contribuiu para a composição do índice o crescimento da nota padronizada de Língua Portuguesa e Matemática, que saiu de 3,94 para 4,2 e a taxa de aprovação que passou de 87% para 91%.

No segundo dia, Maurício Holanda, ex-secretário da Educação, Rogers Mendes, secretário estadual de Educação,Ricardo Henriques, superintendente executivo do Instituto Unibanco, e Manoel Palácios e Lina Kátia, do Caed, debateram sobre os resultados do estado.

O grupo ressaltou a importância da resiliência da rede ao percorrer um caminho consistente ao longo dos últimos 10 anos. Rogers destacou a importância do trabalho integrado e da cooperação entre secretaria, regionais de ensino, municípios e escolas em busca do desenvolvimento dos estudantes. Ricardo Henriques analisou os resultados do Ensino Médio e a estratégia adotada pela SEDUC, apoiada pelo programa Jovem de Futuro, na definição das escolas prioritárias e na gestão que atua equilibrando altas expectativas acadêmicas com redução de desigualdades.